Páginas

terça-feira, 19 de setembro de 2017

11ª edição Primavera de Museus

Programação acontece até o dia 24 de setembro em todo o Brasil; Estado de São Paulo participa com oito instituições
Museu Índia Vanuíre

A Primavera de Museus está de volta nesta terça-feira (19) com o tema ‘Museus e suas memórias’. A ação acontece em todo o Brasil até o dia 24 de setembro. São Paulo participa da 11ª edição com o Museu do Catavento, Arte Sacra, Casa de Portinari, Casa Brasileira, Museu da Imigração, do Café, Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro e Museu Índia Vanuíre.

O Museu da Casa Brasileira participa com programação especial durante a semana inteira da Primavera de Museus. São atividades educativas, mostra ‘Diálogo Design: Polônia Brasil’ e show do grupo Zikir.

O Museu Casa de Portinari, em Brodowski, promove o ‘Encontro Memória Coletiva’ na quarta-feira (20), às 19h. Um debate com personalidades brodowskianas que fizeram parte do Projeto de História Oral do Museu. E na sexta-feira (22), às 20h, haverá o espetáculo da Cia. Minaz de Ribeirão Preto. O Museu do Imigrante preparou espera os visitantes performances artísticas, encontros de formação, apresentação musical e atividades educativas.

No Catavento, além da Visita Histórica, haverá a exposição “Do Palácio das Indústrias ao Catavento”. Por meio de imagens será contada a história do edifício. O Museu de Arte Sacra será palco de uma oficina de fotografia ‘pinhole’. Técnica artesanal de câmera de orifício que utiliza latas no lugar de máquinas fotográficas. Além de produzir as imagens, os visitantes poderão revelar suas fotos no laboratório P&B e levá-la para casa.

O Museu do Café, em Santos, participa com ações especialmente planejadas para esta edição. Durante o período o Núcleo Educativo apresenta atividades com o tema ‘Bolsa Oficial de Café e seus espaços’, um olhar sobre a história com ‘totens’ descritivos e visita mediada.

O Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro, em Campos do Jordão, apresenta atividades diversificadas. Varia de trilha ecológica, música ilustrada, curso para professores, até repertório de 100 anos de samba, entre outras. O Museu Índia Vanuíre traz palestras entre os dias 19 a 24. Serão orientações educativas e encontros com indígenas. No sábado a instituição também celebra 50 anos de existência.

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Tempo seco pode causar problemas respiratórios

As temperaturas mais altas e a falta de chuva fizeram baixar a umidade relativa do ar. As consequência do chamado tempo seco para a saúde vai desde ardência e irritação nos olhos e garganta, tosse seca ou “cheia” e boca seca, podendo ser evoluir para casos mais graves em pessoas que já tenham alguma doença crônica, como asma, causando crises de tosse e o agravamento da doença. 

Durante este período também é comum o aumento da circulação de vírus respiratórios que podem causar coriza, tosse e febre por tempo variável, tendo, em alguns casos, complicações como crises de chiado, pneumonias e, em situações extremas, insuficiência respiratória com necessidade de internação hospitalar.

“Para aliviar os sintomas é necessário beber bastante líquido, lavar o nariz e os olhos com soro fisiológico, evitar exercícios físicos ao ar livre, principalmente entre 10h e 17h nos dias com baixa umidade do ar e evitar lugares fechados e de grande aglomeração”, recomenda o pneumologista Fábio Muchão, do AME (Ambulatório Médico de Especialidades) “Dr. Luiz Roberto Barradas Barata”l.

Para evitar ou minimizar a ocorrência de problemas de saúde, a Secretaria da Saúde indica alguns cuidados importantes:

– Ingerir bastante líquido (a não ser em caso de alguma restrição);
– Não faça exercícios físicos ao ar livre entre as 10h e 17h quando a umidade do ar estiver baixa;
– Deixe um recipiente com água ou um pano molhado no quarto antes de dormir;
– Não use o umidificador elétrico por muitas horas seguidas. O ambiente pode ficar muito úmido e causar mofo e bolor;
– Lave as narinas com soro fisiológico e/ou faça inalações com o mesmo produto;
– Mantenha os ambientes arejados e livres de tabaco e poeira;
– Evite frequentar lugares fechados em que haja grande concentração de pessoas ou procure ventilar ao máximo os ambientes fechados. (Direto Sala de Imprensa gov SP). 

Restaurado teatro histórico em Alagoas

MinC entregou no dia 15, na cidade de Penedo, Alagoas, a restauração do Theatro Sete de Setembro.


Theatro Sete de Setembro

Projetado pelo arquiteto italiano Luigi Lucarini no final do século 19, o Theatro Sete de Setembro foi por décadas palco de grandes companhias teatrais e espetáculos, chegando a ser utilizado também como cinema e como espaço para bailes de carnaval. Este mês, completa 133 anos de existência. 

Todo o processo de restauração incluiu intervenções estruturais no edifício, com a aquisição de equipamentos de luz, som e cenografia adequados para receber atrações de grande porte, inserindo a cidade no roteiro dos principais espetáculos do país, estimulando as atividades artísticas em Penedo e, com isso, incentivando a economia de toda a região.

Penedo

Fundada no século 16, às margens do Rio São Francisco, a cidade de Penedo foi o primeiro povoado de Alagoas. Seu conjunto histórico e paisagístico foi tombado pelo Iphan em 1996.

sábado, 16 de setembro de 2017

Morre aos 65 anos o jornalista Marcelo Rezende

Apresentador morreu nesta tarde de sábado,16, aos 65 anos. Rezende lutava contra um câncer no pâncreas e no fígado. 

Rezende criador do bordão "Corta pra Mim" era a presentador do ‘Cidade Alerta’, da Record, revelou em maio ter sido diagnosticado com agressivo câncer no pâncreas e abriu mão do tratamento convencional. 

Nascido em novembro de 1951 no Rio de Janeiro, Marcelo Rezende tinha mais de quarenta anos de carreira. Trabalhou na Globo, onde realizou reportagens investigativas e apresentou, entre outros programas, o Linha Direta, que exibia a reconstituição de grandes casos criminais, como o do maníaco Chico Picadinho. 

Na Record, comandava o policialesco Cidade Alerta desde 2012. Antes, esteve à frente do quadro A Grande Reportagem, do Domingo Espetacular.

Morre ator Harry Dean Stanton de “Paris, Texas”

Harry Dean Stanton, que apareceu em dezenas de filmes entre os quais  “Repo Man - A Onda Punk”, “Rebeldia Indomável” e “Paris, Texas”, além da sequência da série de televisão “Twin Peaks”, faleceu  nesta sexta-feira,15, aos 91 anos, disse seu agente. O ator morreu pacificamente no hospital Cedars Sinai em Los Angeles, afirmou o agente John Kelly em um comunicado.

Em uma carreira de 60 anos, Stanton trabalhou com alguns dos diretores mais notáveis de Hollywood, incluindo Frances Ford Coppola (“O Poderoso Chefão 2” e “O Fundo do Coração”); Sam Peckinpah (“Pat Garrett & Billy the Kid”); Martin Scorsese (“A Última Tentação de Cristo”); David Lynch (“Coração Selvagem”, “História Real” e “Império dos Sonhos”) e Ridley Scott (“Alien”).

“Ele é um desses atores que sabe que seu rosto é a história”, comenbtou o amigo ator, diretor de cinema e dramaturgo Sam Shepard, dramaturgo com quem Dean atuou no documentário  2012 “Harry Dean Stanton: Part Fiction”. O dramaturdo Sam Shepard faleceu em julho deste ano aos 73 anos.

50º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro

Na foto:  Gabriel Martins, João Toledo
e Leonardo Amaral
Começa a 50ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. O evento, que segue até 24 de setembro na capital federal, teve projeto aprovado para captar recursos por meio da Lei Rouanet e terá representantes que farão debates em painéis. 

BRASÍLIA (DF) BRASIL - Além disso, conta, na programação, com dois filmes realizados graças a editais lançados pelo Ministério da Cultura. O curta-metragem Nada, dirigido por Gabriel Martins, é um deles. Foi selecionado, em 2012, no Edital Curta Afirmativo do MinC, para produção de obras visuais e curtas-metragens dirigidos ou produzidas por jovens negros.

O outro filme apoiado pelo Ministério da Cultura que integra a programação é Torre, dirigido por Nádia Mangolini e selecionado por meio do edital curtas-metragens do MinC em 2013 com o título Rascunhos. A história trata de quatro irmãos, filhos de Virgílio Gomes da Silva - o primeiro desaparecido político da ditadura militar brasileira -, que relatam suas infâncias durante o regime.

Sobre o Festival 


O 50º Festival de Brasília de Cinema Brasileiro promoverá um ambiente de negócios e funcionará como uma plataforma para o crescimento e o fortalecimento dos novos mercados audiovisuais. Nesta edição emblemática, com duração ampliada para dez dias, trará também as mostras competitivas, sessões paralelas, retrospectivas, seminários, debates, palestras, oficinas e lançamentos de livros e DVDs. 



O evento é considerado um dos mais tradicionais eventos audiovisuais do País e foi o primeiro festival de cinema nacional. Ao longo dos anos, enfrentou censura, crises políticas e econômicas. Chegou a ser suspenso durante a ditadura, entre os anos de 1972 e 1974.