Páginas

domingo, 22 de janeiro de 2017

Aristides de Sousa Mendes homenageado

Cônsul português Aristides de Sousa Mendes, homenageado no Museu do Holocausto de Houston

O Museu do Holocausto de Houston organiza na próxima quinta e sexta-feira, com o Comité de Judeus dos Estados Unidos, uma homenagem a Aristides de Sousa Mendes que inclui a exibição de um filme e uma exposição.

Na quinta-feira será exibido o filme "Desobediência: a História de Sousa Mendes", autoria do realizador francês Joël Santoni, enquanto no dia seguinte será inaugurada a exposição "Sousa Mendes e os vistos da liberdade", organizada em conjunto com a Fundação Sousa Mendes.

Os visitantes terão oportunidade de ver os vistos de famílias salvas, bonecos que as crianças refugiadas traziam consigo, diários de guerra e outros objetos emprestados pela família de Sousa Mendes e familiares de sobreviventes.

Breve Perfil 

Aristides de Sousa Mendes do Amaral e Abranches, nome para o qual alterou o seu, foi um cônsul Português. Nasceu em Cabanas de Viriato, 19 de julho de 1885 — Lisboa, 3 de abril de 1954) foi um cônsul Português. 

Enquanto Cônsul de Portugal em Bordéus no ano da invasão da França pela Alemanha Nazi na Segunda Guerra Mundial, desafiou ordens expressas do ditador António de Oliveira Salazar que acumulava a função de ministro dos Negócios Estrangeiros, e durante cinco dias concedeu milhares de vistos de entrada em Portugal a refugiados de várias nacionalidades que desejavam fugir da França em 1940.

sábado, 21 de janeiro de 2017

Trump começa cumprir palavras de campanha

Trump assina primeiro decreto para enfraquecer Obamacare além de criar o Dia do Patriota. 

Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, ordenou na sexta-feira,20,  que agências  do governo paralisem regulamentações e adotem medidas para enfraquecer o Obamacare (plano de saúde criado por Obama), assim, usando suas primeiras horas na Casa Branca para cumprir uma promessa de campanha.

No Salão Oval pouco depois do encerramento de sua parada inaugural, Donald Trump assinou também um decreto sobre o Ato de Saúde Acessível que solicitava que departamentos do governo "renunciem, adiem, concedam isenções ou atrasem a implementação" de disposições que imponham encargos fiscais em Estados, empresas ou indivíduos.

 Sean Spicer, porta-voz de Trump, informou que a Casa Branca também ordenou um congelamento regulatório imediato para todas as agências do governo, em um memorando assinado pelo chefe de gabinete de Trump, Reince Priebus. Aliado a estes atos, Donald Trump, em decreto, fez com que 20 de janeiro seja o Dia do Patriota. 

"Chico Fininho": por Rogério Charraz

"Chico Fininho": por Rogério Charraz leva a palco tributo a Rui Veloso

O espetáculo "Chico Fininho", que este sábado,21, no Cineteatro D. João V, na Damaia, "é uma celebração dos 35 anos de carreira de Rui Veloso, um dos músicos mais consensuais e admirados da música portuguesa", segundo a organização. 
Rogério Charraz

LISBOA, PORTUGAL - Referindo-se ao espetáculo, a mesma fonte afirmou que é "um desfile de canções que marcaram várias gerações de portugueses”, entre os quais os músicos que prestam este tributo.

Além de Rogério Charraz, sobem ao palco  Jaume Pradas, na bateria, Luis Pinto, no baixo, Paulo Loureiro, nas teclas, e Marco Reis, na guitarra.

“Do mítico [álbum] ‘Ar de Rock’ ao mais recente ‘A Espuma das Canções’, nenhum disco ficará de fora desta viagem pelo Porto, pelos ‘blues’, pelo ‘rock’, pelas canções de amor e por todos os elementos que fazem parte da brilhante história de Rui Veloso, que é também uma parte importante da história dos últimos 35 anos dos portugueses”, acentuou a mesma fonte. (Francisco Martins \ sapo.pt). 

Site disponibiliza acervo de Rui Barbosa

Jurista, jornalista e escritor, Rui Barbosa foi um homem de múltiplos talentos, cuja vida se confunde com a história do Brasil. 

Ele desempenhou papel fundamental na redação da Constituição de 1891, atuou na defesa do abolicionismo, foi deputado, senador e ministro da Fazenda. É possível ter acesso à vasta obra do intelectual no site Rui Barbosa On-Line. Criada em 2011, a página reúne as diferentes bases de dados e instrumentos de pesquisa organizados para a divulgação das coleções de livros, documentos e objetos que pertenceram a Rui Barbosa, bem como sua obra e o que se escreveu sobre ele.

Além da OCRB digital, o site de buscas ainda redireciona os pesquisadores para a Bibliografia RBdigital, que contém documentos, como inventários de arquivos, artigos e livros de autoria ou sobre Rui Barbosa, que integram a biblioteca São Clemente, constituída pela Fundação Casa de Rui Barbosa a partir de 1937; a Biblioteca RBdigital, que possui alguns itens que integram a Biblioteca Rui Barbosa, formada pelo próprio escritor ao longo da vida, como capas e páginas selecionadas de 106 títulos, incluindo-se a versão completa da Divina Comédia, de Dante Alighieri, e a coleção de recortes coletados, no período de 1867 a 1922, pelo próprio Rui. 

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Museu Alfredo Mubárac, Difusora Acreana

Museu da Difusora acreana recebe nome do primeiro diretor da emissora


Como forma de reconhecimento, após a reforma do prédio, o novo museu do espaço recebeu o nome do locutor. O local arquiva os itens que fizeram parte da trajetória da Difusora, como aparelhos de som, discos, fotos e cartas recebidas de todo o mundo.

Responsável por estar à frente dos grandes programas de sucesso da Rádio Difusora Acreana, tais como Correspondente Difusora, A Hora da Saudade e Ave Maria, além de escrever radionovelas, Alfredo Mubárac fez história durante sua passagem pelo veículo de comunicação, sendo ele o primeiro diretor artístico.


Em dezembro de 2016, o governador Tião Viana reinaugurou a sede da Rádio Difusora Acreana, “A Voz das Selvas”. O espaço foi recuperado e reformado, mantendo vivos os traços existentes no ambiente que abriga um dos maiores símbolos da comunicação acreana. 

Com 72 anos, é considerada patrimônio histórico e cultural do Acre. Funcionando na frequência 1400 AM, tornou-se responsável por levar informações para os lugares mais longínquos do estado, do país e do mundo.

Atualmente, a emissora integra o Sistema Público de Comunicação do Estado. Sua programação conta com jornais, entrevistas e o famoso “Correspondente Difusora”, que abre o microfone para dar notícias de pessoas que vêm até a capital aos familiares seringueiros, ribeirinhos e indígenas.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Morre ator de "Robocop" Miguel Ferrer

Morre ator de "Robocop" e "Investigação Criminal: Los Angeles" além de  RoboCop. Ele era filho do vencedor do Oscar de 1950, José Ferrer.

Miguel Ferrer especializou-se em papéis de vilão no cinema e televisão, mas passou depois para o lado certo da Lei. Miguel Ferrer morreu vítima de câncer esta quinta-feira, 19, aos 61 anos.

O ator interpretava Owen Granger, diretor assistente do NCIS, na popular série "Investigação Criminal: Los Angeles" desde 2012 e foi o chefe de Jill Hennessy na série "Crossing Jordan" entre 2001 e 2007. 

Foram dois raros papéis do lado da justiça para o filho mais velho de José Ferrer, que ganhou um Óscar em 1950 por "Cyrano de Bergerac" e da cantora Rosemary Clooney, e primo de George Clooney, que já lamentou o desaparecimento no mesmo dia da transição presidencial nos EUA.

A carreira de Miguel Ferrer começou com pequenas participações como convidado em séries e tornou-se conhecido principalmente por papéis de vilão ou, pelo menos, personagens menos escrupulosas.

A mais famosa de todas é, sem dúvida, a de Bob Morton, o ambicioso designer do RoboCop no filme de Paul Verhoven "Robocop - O Polícia do Futuro" (1987), mas também se pode juntar Shan Yu, líder dos Xiongnu, a que deu voz na animação "Mulan" (1998).

Na telona,  teve ainda papéis secundários em "Fórmula Secreta" (1983, Bruce Malmuth), "Heartbreaker" (1983, Frank Zuniga), "Star Trek III: A Aventura Continua" (1984, Leonard Nimoy), "O Anjo das Sombras" (1990, William Friedkin), "Vingança" (1990, Tony Scott), "Tráfico Humano" (1992, David Marconi, o único filme como protagonista), "A Assassina" e "Debaixo de Olho II" (1993, John Badham), "Ases pelos Ares 2" (1993, Jim Abrahams), "Traffic - Ninguém Sai Ileso" (2000, Steven Soderbergh) ou "O Candidato da Verdade" (2004, Jonathan Demme).

Mais filme do ator, ele entrou no universo cinematográfico da Marvel como vice-presidente dos EUA em "Homem de Ferro 3" (2013). (Francisco Martins \ sapo.pt).